De Pico della Mirandola a 11 de Novembro de 2006 às 10:50
De facto, o que descreve neste bem elaborado texto reflecte um pouco de verdade relativamente ao pior português, aqui sim talvez o Ricardo Araujo Pereira (Gato Fedorento) tenha razão e se possa eleger o "português mediano".
Realmente sempre me espantou o dinheiro (muito dele se calhar necessário para fazer face a outras situações ) que se gasta a escolher as cruzinhas que representam a data do nascimento (do próprio e da sua prole), do casamento, da compra do periquito, para (sonho do tal português mediano) ficar estupidamente rico sem nada fazer para tal. Em época de contínuos jackpots então assume contornos irreais!..
Por mim sempre achei verdadeiramente imoral que alguém possa enriquecer escolhendo 6 numeros e 2 estrelas (ou lá o que é), enquanto outros vivem uma longa vida sem possibilidade de a viver condignamente, pois limitam-se a sobreviver com o fruto do seu trabalho.
Não sei se já observou que em qualquer português mediano reside um pequeno tirano em potencial? Dêem-lhe a possibilidade de exercer alguma autoridade e/ou selecção e verão...
O português mediano é um bom candidato. Mas se esse português mediano consegue singrar à custa da "chico espertice" (e da "enorme coincidência" de ganhar algumas lotarias...) até um lugar onde se julga inatingivel então esse passa a chamar-se, p.e., Valentim Loureiro.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres