Domingo, 10 de Dezembro de 2006

Do amor filial

(Conversa verdadeiramente ouvida)

"- Quando a Mãe morrer sou eu que a vou enterrar.

- Não és nada, sou eu!


- Ó Mãe, quem é que a vai enterrar, eu ou ele?

- Claro que sou eu, sou o mais velho.

- Mas eu gosto mais da Mãe do que tu.


- Isso é que era bom, ó cretino!

- Mãe
(ofendida e ingrata): mas por que raio é que me querem enterrar?"

(Via Abrupto)
Publicado por Afonso Reis Cabral às 19:42
link para a posta | Comentar
"I should find myself degraded if I descended to finding out if my convictions suited every man in the audience before I uttered them."
John Osborne
in A subject of scandal and concern

.Contribuidores

.Pesquisar:

 

.Últimas postas

. Está morto mas estamos vi...

. A 79 anos da quinta-feira...

. Le Clézio: Nobel da Liter...

. Dois anos!!

. Ai a crise!

. Morreu Dinis Machado

. Animator Vs Animation

. Angústia nas paredes

. Consumidores de gasolina ...

. Chega hoje o Outono

.Arquivos

. Janeiro 2012

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.Ligações



blogs SAPO

.Tags

. todas as tags

.subscrever feeds