Sexta-feira, 7 de Setembro de 2007

Quando a multidão se junta

Quando a mulditão se junta forma um único ser diferente, sedento, brutal. Cem mais cem não é igual a duzentos, mas a um só. Hipersensível, a massa reage com as emoções à flor da pele e tem um gosto ferrugento de sangue na boca. Obviamente, não é racional.
Kate McCann caiu desde logo no goto das massas, que a acompanharam à missa todos os dias, que a aplaudiram, que choraram com ela. Agora, arguida (gosto de pensar que todos são inocentes até prova em contrário, embora só ponha as mãos no fogo por pouca gente), Kate MacCann sentiu na pele o metabolismo deste bicho perigoso, constantemente em alteração. Como era de esperar, foi vaiada à saída da PJ de Portimão.
É triste, mas uma surriada é apenas o começo: o animal arfa, sequioso.
Publicado por Afonso Reis Cabral às 17:38
link para a posta | Comentar
"I should find myself degraded if I descended to finding out if my convictions suited every man in the audience before I uttered them."
John Osborne
in A subject of scandal and concern

.Contribuidores

.Pesquisar:

 

.Últimas postas

. Está morto mas estamos vi...

. A 79 anos da quinta-feira...

. Le Clézio: Nobel da Liter...

. Dois anos!!

. Ai a crise!

. Morreu Dinis Machado

. Animator Vs Animation

. Angústia nas paredes

. Consumidores de gasolina ...

. Chega hoje o Outono

.Arquivos

. Janeiro 2012

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.Ligações



blogs SAPO

.Tags

. todas as tags

.subscrever feeds