Domingo, 11 de Fevereiro de 2007

Afluência às urnas

Chove. Apesar dos apelos insistentes, a abstenção será muito elevada neste referendo. Mais de dois terços dos eleitores não irão votar. Como interpretar este fiasco? Há uma conclusão inevitável: o tema não mobilizou as pessoas, revelando-se artificial. Não esqueçamos que houve um referendo com a mesma pergunta há nove anos. Talvez seja também um sinal de que muitos pensam que o problema do aborto não se resolve alterando a lei.
Mas a fraca participação neste referendo vem sobretudo tornar mais evidente o desfasamento entre "agenda" política e os problemas das pessoas. Esta realidade é preocupante e deve fazer-nos reflectir. Se, como tudo indica, a consulta voltar a não ser vinculativa o Referendo vai atravessar uma grave crise. Surgirão vozes para alterar a lei e, atrevo-me a dizer, não teremos um novo referendo nos próximos anos.
E agora que venham os resultados.

Paulo Macedo (BdN)
Publicado por Afonso Reis Cabral às 18:15
link para a posta | Comentar
"I should find myself degraded if I descended to finding out if my convictions suited every man in the audience before I uttered them."
John Osborne
in A subject of scandal and concern

.Contribuidores

.Pesquisar:

 

.Últimas postas

. Está morto mas estamos vi...

. A 79 anos da quinta-feira...

. Le Clézio: Nobel da Liter...

. Dois anos!!

. Ai a crise!

. Morreu Dinis Machado

. Animator Vs Animation

. Angústia nas paredes

. Consumidores de gasolina ...

. Chega hoje o Outono

.Arquivos

. Janeiro 2012

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.Ligações



blogs SAPO

.Tags

. todas as tags

.subscrever feeds